Vigilâncias, Epidemiológica e Sanitária, trabalham em parceria no combate a dengue em Araquari

Por Maiara Carvalho
14/11/2017 13:28

Desde janeiro do ano passado, está em vigor uma lei estadual que determina que os proprietários de imóveis residenciais e comerciais devem adotar medidas para evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti. Em Araquari, a fiscalização é feita pela Vigilância Sanitária, que desde o mês de outubro, intensificou os trabalhos por meio de uma parceria com a Vigilância Epidemiológica, setor responsável pelo programa de combate a dengue.


A medida veio depois de uma convocação da Diretoria de Vigilância Sanitária do Estado de Santa Catarina, para que as Gerências Regionais de Saúde de Joinville e Jaraguá do Sul cobrassem dos órgãos municipais responsáveis a criação de estratégias para evitar o risco de uma epidemia. Isso porque na cidade vizinha de Joinville, há atualmente 225 focos positivos da larva do mosquito. Em Araquari, neste ano foram encontrados 10 focos.


Entre as estratégias esta a intensificação das visitas aos pontos estratégicos do município pelos nove agentes de combate a endemias. O coordenador da equipe, Henrique Nascimento, explica que na primeira visita, quando identificado locais propícios para proliferação do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, os proprietários são notificados. “Dependendo do que for necessário fazer para se adequar, damos o prazo de 15 ou até 45 dias. Depois de duas notificações encaminhamos a Vigilância Sanitária.” 


Quando chega a este órgão, a Lei Estadual 16.871 é colocada em prática. Os infratores de imóveis residenciais podem receber multa de até R$ 500. Já os estabelecimentos comerciais podem ser interditados e receber suspensão temporária de autorização de funcionamento por 30 dias. Atualmente, três processos iniciados pela equipe de combate a dengue estão com a Vigilância Sanitária. 


Informações: (47) 3447-7764 – Vigilância Epidemiológica. 

Download das fotos em alta resolução
Carregando