Prefeitura inicia implantação do Programa Remédio em Casa

Projeto piloto atende pacientes no Centro. Ampliação para outros bairros do Município está prevista para o primeiro semestre de 2018.
Por Maiara Carvalho
08/11/2017 07:45
Com o objetivo de aprimorar e humanizar o atendimento a pacientes que necessitam de medicamentos de uso contínuo e que, de alguma forma, estão impossibilitados de comparecer a uma unidade de saúde, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Araquari criou o Programa Remédio em Casa. O projeto piloto está sendo implantado na Unidade Estratégia Saúde da Família do Centro, desde o mês de outubro, quando as agentes comunitárias de saúde iniciaram o processo de cadastro.
 
Receberão medicamentos em casa, pacientes acamados ou portadores de necessidades especiais e idosos impossibilitados de comparecer na Unidade de Saúde, que sejam portadores de doenças crônicas controladas, como hipertensão e diabetes, e, ainda, pacientes que são acompanhados por visita domiciliar.
 
A farmacêutica e coordenadora da assistência farmacêutica da SMS, Maíra Pires Toazza, explica que este é um projeto que visa uma alternativa de acesso a medicamentos essenciais para o tratamento dos agravos com maior incidência na população, sendo uma estratégia de promoção da integralidade do atendimento à saúde no processo de cuidado. 
 
“A viabilidade do Programa Remédio em Casa existe por que está sendo executado pela equipe de agentes comunitárias de saúde, que muitas vezes já buscavam medicamentos para os pacientes.” No Centro, são oito profissionais que, entre outras atividades, visitam os domicílios e fazem o cadastro daqueles que fazem parte do público contemplado.
 
“Esses pacientes que não conseguem vir a Unidade de Saúde, não só receberão os medicamentos em casa, como também serão orientados pelas agentes sobre horários para tomar a medicação, por exemplo. Elas irão ajudar a organizar seus medicamentos e ver se está tudo certo, sempre contando com o apoio da equipe multidisciplinar (médico, enfermeira, farmacêutica e técnicos de enfermagem). Não é somente entregar a sacolinha. Nosso objetivo é orientar e fazer dessa entrega um projeto viável e contínuo”, explica Maíra. 
 
No Centro, 15 pacientes estão sendo cadastrados e começam a receber os remédios já no mês de novembro. O cronograma de implantação do programa prevê ainda para este ano, a avaliação e ajustes do projeto para que, em 2018 seja implantado nas demais unidades de saúde do município. 
 
Download das fotos em alta resolução
Carregando